Clube social Pertence

Essa é uma história que merece a atenção e valorização pois iniciou em Porto Alegre/RS, através de uma professora que foi muito criativa!

Essa história começa com uma corajosa mulher chamada Sara Zinger que aos 68 anos percebeu que podia fazer ainda mais pelas pessoas com deficiências. Ela não tinha nenhum caso na família, mas já havia dedicado 11 anos de sua vida ministrando aulas de alfabetização para jovens com deficiência intelectual, quando se deparou com uma diferença gritante entre sua filha (jovem sem deficiência) e seus alunos. Enquanto sua filha arrumava-se para ir a uma “balada” Sarita (como é carinhosamente chamada por todos), observava sua empolgação, seu brilho no olhar e pensava, amanhã minha filha terá muito o que contar sobre a festa e o garoto novo que iria conhecer.

No dia seguinte, ao chegar na casa de sua aluna, percebeu que faltavam histórias na vida da jovem que era da mesma faixa etária de sua filha. Sara foi humilde o suficiente para perceber que talvez a alfabetização (o trabalho que desenvolvia) não era o mais importante para aquela jovem, mas sim que ela precisava viver e ter o mesmo brilho no olhar que havia visto na sua filha na noite anterior. Ela não pensou duas vezes e fez algo fantástico para mudar aquela história.

Ela colocou seus 3 alunos no carro e os levou para se divertir. Querendo dar uma cara jovem para o programa convidou um jovem amigo, que já dedicava pequena parcela do seu tempo às pessoas com deficiências, o Victor (outro professor criativo), com muita disposição e alegria aceitou o convite e levou a sério a ideia de que a pessoa com deficiência também tem o desejo e o direito de ser feliz. E então aos 22 anos, ele se dispôs a dedicar todos os seus finais de semana a pessoas que nem conhecia, enquanto todos os seus amigos se divertiam em baladas, churrascos, bares, etc.

O primeiro passeio foi no MC Donalds, a Sarita até hoje está devendo o valor daquele lanche para o Victor, mas ele não se importa, por que foi nesse dia que surgiu a ideia de transformar aquele almoço num negócio, melhor que isso, em uma fábrica de histórias, que hoje dá significado a vida do Victor e razão a existência da Sarita.

Foi então que surgiu o Clube Social Pertence, que iniciou com 3 jovens e hoje já mudou a vida de mais de 200 pessoas por meio do lazer e entretenimento.

O Clube oferece hoje:Passeios, viagens de avião, oficinas, atendimentos individuais e tem projetos para famílias e para a comunidade. O objetivo principal é mostrar à sociedade que a pessoa com deficiência tem o desejo e o direito de ser feliz!

Você pode gostar...