Facebook bane usuários brasileiros considerados disseminadores de fake news

250 usuários foram removidos perfis ligados ao MBL estão envolvidas

O Facebook anunciou nesta 4ª feira (25.jul) o banimento de 196 páginas e 87 perfis considerados divulgadores de fake news e conteúdos que incitam o ódio. De acordo com a rede social, usuários mal intencionados e que violavam os padrões da comunidade são os alvos da ação. A lista dos banidos, no entanto, não foi informada.

“Temos atualmente cerca de 15 mil pessoas trabalhando em segurança e revisão de conteúdo em todo o mundo, e chegaremos ao fim do ano com mais de 20 mil pessoas nesses times”, declarou o líder de Cibersegurança da empresa, Nathaniel Gleicher.

Alguns grupos se manifestaram nas redes sociais, alegando terem sido afetados. Entre eles estão as páginas Brasil 200 – ligada ao empresário Flávio Rocha–; Corrupção Brasileira Memes e perfis relacionados ao MBL (Movimento Brasil Livre).

ELEIÇÕES VS. FAKE NEWS
Neste ano, uma força-tarefa formada por 24 veículos de imprensa, entre os quais o Poder360, foi estabelecida para acompanhar, identificar e acusar rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação na mídia online, com enfoque no combate às notícias falsas.

No Brasil, o Comprova é coordenado pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e tem o apoio do Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo), do Google News Initiative e do Facebook Journalism Project. A iniciativa entrará no ar em 6 de agosto. Os desmentidos serão publicados no site do Comprova e divulgados pelos veículos parceiros, além de serem distribuídos em redes sociais, como Facebook, YouTube e Twitter.

A coalizão de empresas de mídia inclui AFP, Band, BandNews, Canal Futura, Correio do Povo, Exame, Folha de S.Paulo, GaúchaZH, Gazeta do Povo, Gazeta Online, Jornal do Commercio, Metro Brasil, Nexo Jornal, Nova Escola, NSC Comunicação, O Estado de S.Paulo, O Povo, Poder360, revista piauí, Rádio BandNews FM, Rádio Bandeirantes, SBT, UOL e Veja.

Você pode gostar...