Fórum da Liberdade debate os propósitos do empreendedor brasileiro

O segundo dia da 32ª edição do Fórum da Liberdade iniciou nesta terça-feira (9) com o painel Empreendendo a Liberdade. Participaram do encontro o CEO e fundador do Brasil Paralelo, Henrique Viana; o CEO da Amaro, Dominique Oliver; e o diretor-executivo da Escola de Administração Pública (ENAP), Diogo Costa. Os convidados falaram sobre os desafios e as oportunidades do empreendedorismo no país, dividindo experiências e orientando caminhos para prosperar.
.
Henrique Viana, CEO e fundador do site Brasil Paralelo, contou sobre o surgimento da empresa e como trabalhar por um propósito pode ser a diferença para o sucesso. “Tudo começou a partir de encontros realizados entre pessoas com um propósito em comum: debater a situação política e econômica do país, e as diferentes ideologias. Queríamos transformar nossa paixão em algo maior, que tocasse as pessoas, e para dar um passo à frente, empreendemos na maneira de enviar a mensagem, daí surgiu a Brasil Paralelo”, explicou Viana. A partir da produção de conteúdos em vídeos sobre momentos da história brasileira de forma independente, a empresa foi se consolidando e tornando-se rentável, com um faturamento quatro vezes maior em 2017. “Conseguimos construir um modelo de negócio sólido e, mais do que nunca, deveríamos ser fiéis ao nosso propósito. Quando você trabalha com paixão tudo fica mais fácil, as pessoas colocam o seu dinheiro naquilo que elas acreditam e veem valor. Hoje, a nossa plataforma de conteúdo tem mais de 30 mil assinantes e constantemente reavaliamos o nosso modelo de negócio”, finalizou o palestrante.
.
O economista e CEO da Amaro – uma marca de moda totalmente digital -, Dominque Oliver, explicou como inovou na criação e gestão da empresa a partir do controle de dados. “A moda é um dos segmentos mais antigos, com modelos de negócios arcaicos. Minha experiência em bancos de investimentos americanos me abriu os olhos para a oportunidade de levar a moda para um ambiente totalmente digital em mercados de países emergentes, desafiando a cadeia de negócio tradicional. No Brasil, por exemplo, a indústria de moda tem 5% de penetração no e-commerce”, explicou Oliver. Para ele, a utilização de dados permite o controle total dos resultados. “A partir das informações obtidas conseguimos medir a satisfação do nosso público, criar e testar novos produtos e personalizar o ambiente virtual para deixar com a cara do cliente. Para atingirmos os outros 95% dos consumidores criamos espaços físicos, as Guide Shops, que são apenas um showroom de nosso produtos. O cliente entra, experimenta e efetua a compra via aplicativo ou site. Desde 2012, ano de fundação da Amaro, já atingimos mais de 350 mil clientes e mais de 500 mil seguidores no instagram.
.
Diogo Costa, diretor-executivo da Escola Nacional de Administração Pública, finalizou o painel destacando que as dificuldades de empreender no país não impedem o brasileiro de abrir seu negócio próprio. “Segundo dados do Banco Mundial, o Brasil está em 109º lugar na facilidade de fazer negócios e em 144º lugar quando trata-se de abrir uma empresa. Apesar dos número negativos, o brasileiro não deixa de empreender, seja por necessidade ou oportunidade”, avaliou o palestrante. Para Costa, é preciso valorizar o crescimento no número de empreendedores no Brasil, que já atinge mais de 50 milhões. “É preciso estimular um ambiente competitivo e que foque em gestão qualificada, pois isso é essencial para o crescimento da economia e do desenvolvimento social. Se você reduz a competição, o investimento cai, os empregos e a geração de renda diminuem e, consequentemente, a pobreza aumenta”, finalizou.

.
Sobre o IEE
.

O Instituto de Estudos Empresariais foi fundado em Porto Alegre há mais de 30 anos por 20 integrantes. A entidade tem como intuito a formação de jovens lideranças empresariais que se comprometam com um modelo de organização social e política para o Brasil baseado no ideal democrático de liberdades individuais e orientado à defesa e manutenção dos valores da economia de mercado e da livre-iniciativa. Desde 1988, o IEE promove anualmente o Fórum da Liberdade – consagrado nacionalmente e considerado o maior evento liberal da América Latina.

FÓRUM DA LIBERDADE

Você pode gostar...