Real Madrid aproveita falhas do goleiro Karius, bate o Liverpool e amplia soberania na Champions League

Além do terceiro título seguido, clube merengue levanta sua 13ª taça na Liga dos Campeões com vitória por 3 a 1 sobre os ingleses

O Real Madrid venceu o Liverpool por 3 a 1 neste sábado, no Estádio Olímpico de Kiev, e conquistou seu 13º título da Champions League. É a terceira taça consecutiva da competição continental erguida pelos comandados de Zinedine Zidane. Apesar de toda experiência em finais, pesaram a favor do time merengue as falhas do goleiro Karius. No primeiro gol, ele errou a reposição e jogou a bola em cima de Benzema, que, atento ao lance, abriu o placar no início da etapa final.

Lambança à parte, o Liverpool não se abateu e empatou a partida menos de cinco minutos depois, com Sadio Mané. O jogo seguia equilibrado até Zidane colocar Gareth Bale no lugar de Isco. Aproveitando cruzamento de Marcelo, o galês acertou uma linda bicicleta logo em sua primeira jogada e pôs novamente o Real Madrid em vantagem. Os Reds bem que tentaram correr atrás do prejuízo, mas não contavam com uma nova falha grotesca de Karius. Bale arriscou de longe, o goleiro parecia convicto para agarrar a bola, mas acabou engolindo um frango, aos 38 minutos do segundo tempo, e decretou a vitória do Real.

Não bastasse a noite tenebrosa do arqueiro, o Liverpool ainda sofreu um duro golpe no primeiro tempo. O craque do time, Mohamed Salah, deixou o gramado às lágrimas após ser derrubado por Sergio Ramos e sentir uma lesão no ombro direito. De acordo com informações preliminares de Kiev, é provável que o atacante tenha de passar por uma cirurgia, o que o tiraria da Copa do Mundo com a seleção do Egito.

Com o resultado, o Real Madrid, que também perdeu o lateral Carvajal, machucado, alcançou a incrível marca de quatro títulos nas últimas cinco edições de Champions League e se isola ainda mais no topo dos maiores campeões europeus. Uma equipe que entra para a história não somente por ser “o time de Cristiano Ronaldo” – que, embora tenha amargado atuação discreta na final, igualou lendas do calibre de Di Stéfano ao comemorar sua quinta Liga dos Campeões e a artilharia, com 15 gols. Mas, acima de tudo, por fazer do torneio o grande símbolo da vocação vencedora do clube de Madri.

Você pode gostar...