BMW LANÇA DUAS NOVAS VERSÕES DA CRUISER R 18

A BMW lançou na quinta-feira (29) duas novas versões da cruiser R 18 criadas especialmente para brigar no andar mais alto do segmento de motos touring de luxo: a R 18 B e a R 18 Transcontinental. A primeira é uma bagger de aspecto mais despojado e a segunda, uma touring completíssima. As duas têm endereço certo: o mercado americano, onde esse tipo de moto é muito popular e rentável.

A própria BMW diz que a bagger é para “tocadas tranquilas em highways americanas” e que a Transcontinental é uma “grande tourer americana para luxuosas viagens de longa distância”. Mais claro e objetivo, impossível. As Harley-Davidson Ultra Limited e Street Glide, as Indian Chieftain e Roadmaster e a Honda GL 1.800 Gold Wing, modelos muito vendidos por lá, que se cuidem.

Para encarar a também luxuosa concorrência, os dois modelos chegam recheados de atrativos.

A Transcontinental é equipada com carenagem dianteira e para-brisa alto, defletores de vento, flaps laterais, faróis auxiliares, som da grife Marshall, barras protetoras de motor, baús laterais para 27 litros cada, top case traseiro com encosto tipo poltrona para garupa e capacidade para 48 litros, pedaleiras plataforma e aquecimento de bancos e punhos, entre outros itens.

O motor é pintado na cor cinza clara e tem detalhes cromados – o mesmo acabamento aplicado nas bengalas da suspensão dianteira e nas rodas de liga leve.

Já a bagger R 18 B, mais despojada, tem carenagem igual, mas recebe para-brisa mais baixo, banco com desenho tipo badlander e baús laterais. Aquecidos, só os punhos. Motor, cabeçotes, bengalas e rodas são pintados na cor preta, dando à moto um aspecto menos clássico, porém mais jovial e agressivo.

Em ambas, o painel é composto por quatro relógios analógicos e, logo abaixo, uma telona de TFT de 10,2 polegadas, que exibe desde mapas de navegação de GPS até informações da conectividade que pode ser feita por pareamento com o smartphone do condutor.

As duas motos também compartilham chassi, iluminação full-LED, tanque para 24 litros de combustível e motor. Este é o chamado “big boxer”, apelido dado por ser o dois cilindros contrapostos mais potente já feito pela BMW. Tem 1.802 cm³ de capacidade cúbica e rende 91 cv de potência a 4.750 rpm e torque de 16,1 kgf.m a 3.000 rpm.

O câmbio tem seis marchas e a secundária é feita por um enorme eixo cardã, apoiado em balança dupla convencional. A suspensão traseira é monochoque com ajuste automático de altura em função da carga e os freios, a disco duplo na frente e disco simples atrás – com ABS, naturalmente.

As duas ainda têm controle automático de velocidade de dois modos: o normal, que mantém a mesma aceleração em quaisquer circunstâncias, e o Active, que acelera e desacelera de acordo com obstáculos identificados por sensores instalados na carenagem dianteira, que funcionam como radares.

Além disso, há outros assistentes à pilotagem, como três modos de condução (batizados de rain, rock e roll!), controles de tração e de estabilidade, assistente de partida em rampas e marcha a ré elétrica.

No início das vendas, a BMW produzirá uma série limitada batizada de “First Edition” das duas versões. Essas versões terão pintura bicolor, bancos especiais e a inscrição com o nome da série, entre outros mimos.

A linha BMW R 18, que é composta também por outras duas versões (standard e Classic), ainda não é comercializada no Brasil. Para nossa tristeza e para o alívio de Harley-Davidson e Honda…

Você pode gostar...