CARROS ELÉTRICOS: CONHEÇA AS VANTAGENS E DESVANTAGENS

Quem gosta de acompanhar notícias sobre tendências automotivas, já deve ter ouvido falar com frequência sobre carros elétricos. Mas o que eles são exatamente? Como funcionam? Por que são considerados uma opção melhor para o meio ambiente?

Desde que a humanidade substituiu os veículos de tração animal pelos automotores, todas as pesquisas envolvendo o desenvolvimento de novos modelos visam a melhoria em alguns pontos. Potência, eficiência energética e autonomia são os principais deles.

Conforme a tecnologia avançou para a fabricação de outros modelos, o processo se tornou cada vez mais eficiente, isto é, o uso mínimo de combustível para o máximo de potência.

No entanto, existe um limite para tal sistema. Com o aumento crescente por demanda e preocupações ambientais, a previsão é de que tal modelo se torne insustentável. Afinal, o petróleo é um insumo finito e bastante poluente.

A resposta para o dilema está exatamente na tecnologia. Empresas do setor buscam cada vez mais soluções que tragam automóveis tão potentes, seguros e confortáveis quanto os que já temos, mas que não utilizem combustível fóssil para energizar seu motor.

E o caminho mais certo hoje é a aposta nos carros elétricos. Uma bateria entra no lugar do tanque de gasolina e é recarregada de uma maneira muito parecida com os eletrônicos que há em casa — em uma estação especial de postos de gasolina ou até na própria garagem do motorista.

É essa energia a responsável por fazer as rodas girarem, com um motor conectado diretamente a elas. Sem pistões, sistemas fluídos ou cano de descarga.

Quais os tipos de carros elétricos existentes?

Para conseguir fabricar carros elétricos com as mesmas capacidades de um automóvel a combustível fóssil, várias abordagens estão sendo testadas pelas empresas — principalmente neste momento de transição.

Temos de lembrar que as iniciativas para desenvolvimento de veículos movidos a eletricidade tornaram-se viáveis apenas nas últimas décadas, contra cem anos de iteração dos modelos tradicionais.

Isso porque o principal fator determinante é que eles tenham uma bateria capaz de armazenar energia de modo eficiente e que dê a autonomia suficiente para serem comercialmente atrativos.

Atualmente, existem 4 tipos principais de carros elétricos. Veja quais são e suas diferenças.

Veículo Elétrico Híbrido (HEV)
O veículo híbrido é o verdadeiro modelo de transição entre o passado e o futuro. Nele, a ideia é manter o uso do combustível, mas de uma forma capaz de aumentar ainda mais a eficiência de sua utilização.

O processo é o mesmo que alimenta a bateria dos carros atuais, porém, com mais capacidade para energizar um motor elétrico.

Esse serve de apoio para o motor principal de combustão que, por contar com ajuda para movimentar as rodas, gasta bem menos gasolina do que os modelos tradicionais.

Veículo Elétrico Híbrido Plug In (PHEV)
O híbrido com Plug In tem um sistema muito parecido com o anterior. A maior diferença está na possibilidade de alimentar a bateria de maneira externa, com um carregador.

Nesse caso, o carro não conta apenas com o KERS (Sistema de Recuperação de Energia Cinética) para alimentar o motor elétrico. Isso permite, inclusive, que o carro se movimente sem uso de combustível até que essa carga termine.

Veículo Elétrico a Bateria (BEV)
O veículo totalmente elétrico é talvez o grande objetivo para as pesquisas no setor. Nesse modelo, é eliminada completamente a necessidade de um motor a combustão, tendo apenas a bateria e o sistema eletrônico.

O carro é carregado por uma tomada especial, uma versão mais potente do carregador de celular que você tem em casa. O grande desafio desse modelo ainda está na autonomia possível para manter um equilíbrio entre potência e o peso da bateria.

Veículo Elétrico a Célula de Combustível (FCEV)
Você já deve ter ouvido falar sobre carros com célula de hidrogênio. Pois saiba que é apenas mais uma versão do carro elétrico.

A diferença está principalmente na forma como é abastecido. Em vez de uma tomada, ele apresenta um sistema mais parecido com os de postos atuais. É colocado hidrogênio nas células de combustível que, quando reage com o oxigênio, gera energia.

É um modelo completamente elétrico, mas que apresenta características como autonomia mais próxima ao que é um veículo tradicional. Uma grande vantagem é que essa reação química não polui — o resultado da mistura produz apenas água e calor.

Quais são os prós dos carros elétricos?

Não é por acaso que tantas empresas no mundo estão investindo em pesquisa e desenvolvimento de carros elétricos. As vantagens que esse sistema traz para o motorista e a sociedade são fundamentais para nosso futuro. Veja as mais importantes.

Sustentabilidade
É impossível falar de veículos elétricos sem citar a necessidade cada vez mais presente em nossas rotinas de reduzir ou até eliminar o uso de combustíveis fósseis.

Além de ser um tipo de exploração invasiva, os gases resultantes da queima de derivados de petróleo (principalmente o gás carbônico) são bastante nocivos ao meio ambiente.

E isso não é uma questão apenas grandiosa como a mudança de clima. É algo que afeta a saúde de pessoas em grandes cidades todos os dias. A má qualidade do ar é responsável por diversas doenças respiratórias, que podem ser prevenidas com um futuro eletrônico.

Economia
Por ser um combustível não renovável, a tendência é que o preço de derivados do petróleo suba muito quando sua oferta diminuir. Esse é um dos pontos que incentivam empresas do setor a investirem nos novos modelos.

A possibilidade de produzir energia elétrica, de modo cada vez mais barato, limpo e renovável, é um potencial incrível para diminuir o custo de abastecer um veículo — ainda mais em um país com potencial energético como o Brasil.

Eficiência
A economia vem também da eficiência com que o carro utiliza sua energia. Por ser mecânico, o motor a combustão naturalmente perde parte da força gerada ao longo do seu sistema. Em um motor elétrico, praticamente toda energia disponível é bem convertida em potência.

Segurança
A ausência de combustível no veículo por si só é um ganho em segurança — embora os tanques modernos sejam bastante seguros. Mas, nessa questão, talvez o maior ganho para motoristas e passageiros esteja na estabilidade do veículo.

Com um motor muito menor que o de combustão, modelos elétricos costumam manter esse sistema todo abaixo do assoalho do carro, diretamente conectado às rodas. Com um centro de gravidade mais centralizado e próximo ao chão, tais veículos dão total controle e dirigibilidade para quem está no volante.

Quais são os contras desses veículos?

Quando falamos em pontos negativos dos veículos elétricos, todos eles ainda têm relação com a maturidade do desenvolvimento desses sistemas. Como dissemos, são décadas de pesquisa contra uma centena de anos de combustíveis fósseis.

Mesmo assim, vale a pena conhecer esses contras, caso já se interesse hoje mesmo por um carro elétrico em casa. Confira.

Autonomia
Infelizmente, os carros totalmente elétricos ainda não conseguem atingir a autonomia de modelos tradicionais. Isso se dá pela necessidade de desenvolver baterias cada vez mais eficientes, que consigam reter mais energia sem tornar seu peso inviável para uso em veículos.

Enquanto não chegamos nesse ponto, veja a comparação de autonomia média entre os diferentes tipos de motores:

– híbrido: 400 km a 700 km utilizando combustível;
– híbrido com Plug In: 30 km a 120 km com a carga da bateria e 400 km a 700 km usando combustível;
– elétrico a bateria: 100 km a 400 km;
– elétrico a célula de combustível: 320 km a 600 km.

Como podemos ver, os veículos elétricos que utilizam células de hidrogênio hoje são os mais próximos da autonomia de carros tradicionais, porém, também os mais caros. A tendência é que esses números cresçam, e o preço caia com o tempo.

Pontos de recarga
Mesmo que utilize exclusivamente a rede elétrica, não dá para ligar o seu carro na tomada comum de casa. A recarga exige um sistema especial que pode ser instalado na residência do dono ou estar presente em postos de combustível.

A questão é que, por ter uma demanda ainda pequena, é difícil encontrar estabelecimentos que contem com esse sistema — seja o de ligação na rede elétrica, seja de abastecimento de hidrogênio.

Com a popularização, é natural que essas opções se tornem mais comuns no futuro. No presente, no entanto, é preciso pesquisar bastante.

Tempo de recarga
Outra questão importante é a disponibilidade de tempo para manter seu carro abastecido. Ao contrário de combustíveis fósseis, com os quais se enche um tanque em um, dois minutos, carros elétricos podem precisar de horas para uma carga completa, dependendo do modelo e da corrente disponível.

A ideia é que os carros do futuro sejam como os nossos celulares: recarreguem à noite o suficiente para serem utilizados durante o dia.

Mas, claro, como tudo que citamos aqui, essa é uma tecnologia em desenvolvimento, e tais processos podem se tornar muito mais rápidos e eficientes no futuro.

Afinal, esse é o caminho que os veículos estão tomando. Se hoje parecem uma novidade, os carros elétricos serão uma realidade para toda a população em algumas décadas. Saber mais sobre esses modelos é incrível para ver o que vem por aí.

Você pode gostar...