CORONAVÍRUS: CONVERGÊNCIA E UNIÃO – POR DEPUTADO ZUCCO

O momento extraordinário que o mundo enfrenta exige a participação de todos. Cada um, à sua maneira, usando seus talentos e habilidades, pode contribuir para minimizar o sofrimento dos que lutam pela sobrevivência de colocar alimento na mesa. A radicalização político-ideológica – esta verdadeira praga social que assola o Brasil em pleno século XXI – não poupa sequer as vítimas desta pandemia que ceifa vidas em proporções planetárias. Infelizmente a tendência de boa parte das pessoas é identificar o autor das ideias ao invés de focar no mérito da iniciativa com vistas à redução de danos. Dependendo do autor e deflagrado o processo de linchamento digital!

O fanatismo sequer respeita os princípios cristãos tão latentes nesta fase de desorganização social. Isso impede uma união mais sólida e eficiente para o combate das consequências da COVID-19. Os governos municipais, estaduais e federal buscam mitigar a pandemia, mas o viés político gera obstáculos mais tenazes que a falta de recursos, equipamentos e de instalações hospitalares. Nos últimos dias trabalho na realização de vídeos informativos com especialistas que orientam a população com dicas simples e práticas. Paralelamente busco alternativas para aliviar o combalido bolso do contribuinte gaúcho. Entre as alternativas consta a sugestão de parcelamento em 12 vezes do IPVA, não apenas em 2020, mas sempre, seguindo uma praxe adotado para outros tributos e impostos. Nesta fase de restrições os caminhoneiros têm sido sacrificados. Eles exercerem um ofício indispensável. Transportam alimentos, insumos de saúde – medicamentos, equipamentos de proteção e matérias-primas para laboratórios – e todo tipo de mercadoria para abastecer os supermercados. Apesar da relevância, nossos heróis da estrada são penalizados com dificuldades de alimentação e o pagamento de pesadas tarifas de pedágio.

Aqui no Estado a EGR controla praças em inúmeras rodovias do Interior. Por isso, sugiro a adoção de medidas de alívio para os caminhoneiros, corroborando com as ações do Governo Federal que determinou sucessivas reduções no preço dos combustíveis, incluindo o diesel. Seria, acima de tudo, uma atitude humanitária para estes profissionais que estão expostos durante toda a sua jornada de trabalho. O momento exige sacrifício não apenas do contribuinte. Terceirizar responsabilidades, esquivar-se de ações amargas e transferir obrigações é indigno de um gestor público. É hora de união e medidas convergentes. O revanchismo enfraquece e seve apenas para alimentar vaidades pessoais. A população espera dos agentes públicos postura e atitudes que resultem em alívio, esperança e, em breve, volta à normalidade. Temos uma oportunidade única para celebrar o humanismo e a solidariedade.

JORNAL NH

TENENTE-CORONEL ZUCCO
DEPUTADO ESTADUAL
http://deputadozucco.com.br

 

Você pode gostar...