Já faz certo tempo que os 60 anos são os novos 40, afirma Luiz Carlos Busato * Canoas

Já faz certo tempo que os 60 anos são os novos 40, e nunca foi tão necessário olhar para essa parcela da sociedade como agora. Desde que a expectativa de vida aumentou, pessoas nessa faixa etária já não se bastam com uma rotina preenchida por tempo ocioso e um papel de coadjuvantes na vida de filhos e netos. Aos 60, ainda há vontade de crescer, aprender e sonhar. Mas o que as empresas estão fazendo para enquadrar o conhecimento e a experiência desses profissionais no mercado de trabalho? Não é preciso uma pesquisa para responder a essa pergunta. Basta observar o quadro de funcionários de qualquer organização e analisar: qual a proporção entre jovens e veteranos com mais de 50?

No Brasil, somente 12% das empresas procuram contratar trabalhadores com idade mais avançada. Enquanto isso, potências econômicas como os Estados Unidos e o Reino Unido têm recrutado justamente quem aqui é considerado velho demais. No país norte-americano, inclusive, os anos a mais já deixaram de ser um problema e passaram a ser uma solução na busca por mão de obra qualificada _ algo mais fácil de encontrar em pessoas mais maduras.

 Precisamos mudar a mentalidade no Brasil de que a pessoa idosa serve apenas para cuidar dos netos e da casa. Devemos pensar ações para atualizar esses profissionais naquilo que não foi da época deles, mas que ainda há tempo para ser se alguém se propor a ensinar. Justamente por isso, lançamos na Prefeitura de Canoas o Programa Gerações, que vai promover curso de capacitação e experiência prática para que pessoas com mais de 60 anos e com renda de até dois salários mínimos se sintam novamente preparadas para o mercado de trabalho. Com vagas limitadas, a iniciativa tem duração de um semestre e o participante recebe bolsa-auxílio mensal de R$ 727. A formação vai abordar o uso de tecnologias, noções básicas de escrita e oralidade, raciocínio lógico, responsabilidade socioambiental, direitos humanos, sociais e trabalhistas, relações interpessoais e atendimento humanizado.

Você pode gostar...