NOTEBOOK LENOVO IDEAPAD FLEX 5i: O 2 EM 1 QUASE COMPLETO

A demanda por notebooks 2 em 1 (ou conversíveis) não é muito grande, mas modelos do tipo conseguem ter algum destaque no mercado. O Lenovo Ideapad Flex 5i é uma das opções que representam a categoria no Brasil.

O modelo tem tela de 14 polegadas full HD com abertura de 360 graus, 8 GB de RAM e SSD de até 256 GB. Há várias opções de processador, porém. Este review avalia a versão intermediária, que traz o Core i5-1035G1, um chip Intel de décima geração.

Esse processador dá conta do recado? O modo tablet do notebook é interessante? A bateria tem autonomia decente? Eu conto esses e outros detalhes a partir de agora.

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

Design, conectividade e áudio

Um afinamento existente nas laterais causa a impressão de que o Ideapad Flex 5i é um laptop fininho, mas não é bem assim: fechado, ele tem 17,9 mm de espessura. Apesar disso, ele é compacto o suficiente para ser transportado em uma mochila ou pasta com facilidade.

O peso de apenas 1,5 kg contribui para isso. O problema é que, de certa forma, essa relativa leveza compromete o aspecto da robustez. O notebook tem um corpo de plástico que não parece ser dos mais resistentes. Pelo menos a tampa atrás da tela é de metal. O Flex 5i tem corpo de plástico, mas tampa de metal.

No quesito conectividade, o Ideapad Flex 5i traz duas portas USB 3.1 (Gen 1) convencionais e um leitor de cartão SD no lado direito. Por ali também encontramos o botão de liga / desliga, que tem um LED que fica acesso quando o equipamento está ligado e pisca durante o modo de descanso.

Já o lado esquerdo abriga uma porta USB-C, a conexão para fones e microfone, além de uma porta HDMI. Conexão Ethernet? Não tem. Só faltou isso para o modelo ser considerado perfeito em conectividade — ou algo perto disso.

Ah, o Flex 5i também conta com Wi-Fi 5 (802.11ac) e Bluetooth 4.2. As duas tecnologias funcionaram a contento nos testes.

Outro detalhe importante: a porta USB-C também tem alimentação elétrica. Apesar disso, o laptop vem de fábrica com um carregador que usa conexão dedicada.

Ao contrário da maioria dos notebooks atuais, o Flex 5i tem uma saída de áudio posicionada em cada lado do teclado, não na parte inferior. Essa abordagem é interesse porque evita que o som seja abafado pela proximidade do notebook com uma superfície.

A propósito, o volume não é dos mais altos, mas o áudio é claro e envolvente, e consegue inclusive reproduzir detalhes que, normalmente, só percebemos com fones.

Tela, modo tablet e webcam

O Lenovo Ideapad Flex 5i tem tela de 14 polegadas do tipo LCD WVA (um padrão similar ao IPS) com resolução full HD (1920×1080 pixels).

Essas características tornam a experiência de uso do notebook para vídeos e jogos muito boa. Você não percebe pixels com facilidade e não precisa levantar ou baixar a tela para ajustar o campo de visão — o componente tem boa visualização sob ângulos variados.

Mas nem tudo é perfeito. O brilho, de 250 nits, pode não ser suficiente para você enxergar o conteúdo da tela em um ambiente muito claro. Além disso, a intensidade das cores do painel é apenas ok. Um pouco mais de vivacidade aqui seria ótimo.

Apesar dessas limitações, essa tela está muito à frente dos painéis TN que são tão comuns em notebooks intermediários vendidos no Brasil.

Como você já sabe, este é um notebook 2 em 1, ou seja, que pode ser transformado em tablet se você girar a tela em 360 graus. Quando isso é feito, o teclado e o touchpad são desativados automaticamente.

Esse modo de uso pode ser interessante para aplicações que não exigem teclado, como vídeos. Para notas à mão ou trabalhos artísticos também: a tela do Ideapad Flex 5i é sensível a toques, logo, pode ser usada com uma stylus (a Lenovo oferece uma caneta do tipo, mas vendida à parte).

Painéis de 360 graus frequentemente geram uma preocupação: será que as dobradiças não irão se desgastar com o tempo? Essa possibilidade existe, é claro, mas os mecanismos de dobra do Ideapad Flex 5i me pareceram bastante firmes. É preciso até fazer um pouco de esforço para girar a tela.

Me agrada o fato de o componente ter bordas finas, pelo menos nas laterais esquerda e direita. A parte superior é um pouco mais generosa nesse quesito, em compensação, abriga a webcam.

Com 720p, a câmera é simples. Você vai conseguir participar de videoconferências sem dificuldades, mas não espere imagens de alta qualidade aqui.

Se você costuma tampar a webcam quando ela não está em uso, boa notícia: a câmera é acompanhada de uma discretíssima trava retrátil de bloqueio.

Teclado, touchpad e leitor de digitais

No Brasil, teclado retroiluminado costuma ser uma característica de notebooks high-end. Felizmente, o Lenovo Ideapad Flex 5i foge à regra: o notebook tem LEDs nas teclas com dois níveis de intensidade e uma iluminação branca que pende levemente para o roxo.

O teclado também vem no padrão ABNT2 e traz teclas com uma curvatura na base — detalhe que caracteriza os laptops da Lenovo — e uma textura que torna a digitação mais confortável.

Graças a esses atributos, podemos considerar o teclado um dos pontos fortes do Flex 5i. Mas não dá para dizer o mesmo do touchpad. O componente reconhece os toques com precisão, mas aparenta ser frágil: às vezes tenho impressão de que os cliques farão o componente afundar e não voltar mais. Além disso, o touchpad poderia ser um pouco maior, né?

Em compensação, a Lenovo colocou um leitor de impressões digitais no Ideapad Flex 5i. A leitura é rápida e funciona na primeira tentativa na maioria das vezes. Eu não diria que esse é item indispensável em notebooks, mas, quando você se costuma a desbloquear o Windows com a digital, passa a não querer mais saber de senhas.

Desempenho, software e bateria

O Core i5-1035G1 que equipa o Ideapad Flex 5i testado neste review é um processador Intel de 10ª geração desenvolvido para, tanto quanto possível, equilibrar desempenho com baixo consumo de energia.

Essa missão é cumprida com sucesso aqui, embora dentro de certos limites. O notebook rodou com desenvoltura todos os aplicativos de produtividade ou entretenimento testados: Word, PowerPoint, Photoshop, Chrome com várias abas abertas, Google Earth, reuniões via Zoom, Netflix em tela cheia, entre outros.

Como o equipamento tem 8 GB de RAM e SSD de 256 GB, o carregamento do sistema operacional e a abertura de softwares costumam ser ações rápidas, bem como a alternância entre os aplicativos.

Em jogos que exigem mais da GPU — uma Intel UHD integrada — a situação muda. Asphalt 9: Legends, por exemplo, só flui bem com configurações gráficas medianas e, mesmo assim, é possível notar queda na taxa de frames com alguma facilidade. Não chega a ser surpresa: o Core i5 existente aqui não é um chip destinado a tarefas exigentes.

Um detalhe que me agradou bastante: mesmo quando trabalha a todo vapor, o notebook não esquenta muito. Você vai ouvir a ventoinha girando, mas não é como se o laptop fosse levantar voo.

Mas também encontrei um detalhe que me desagradou bastante: a memória RAM do Flex 5i é soldada à placa-mãe. Isso significa que você não pode aumentar a memória ou simplesmente trocar o módulo em caso de defeito.

É importante destacar que o notebook vem com o Windows 10 Home e, felizmente, nenhum trial de antivírus. O único software extra aqui é o Lenovo Vantage, que permite configurar alguns recursos do equipamento e, ao mesmo tempo, serve como canal de propaganda da marca.

Falta falarmos dela, a bateria. O componente tem 53 Wh e, segundo a Lenovo, pode alcançar dez horas de autonomia. Para tirar a prova, rodei um vídeo de 2h15min na Netflix com brilho máximo na tela, usei Chrome por uma hora, ouvi Spotify via alto-falantes também por uma hora e fiz uma videochamada por 20 minutos.

Executei esses testes com o modo de economia de energia desativado. Com isso, a carga da bateria caiu de 100% para 8%. Ou seja, podemos estimar a autonomia em aproximadamente cinco horas quando não houver limitação de desempenho. Não é um número ruim, mas, sim, a bateria podia durar um pouco mais.

O tempo de recarga de 10% para 100% com o laptop desligado foi de 2h15min. Existe um modo de recarga rápida que reduz esse tempo pela metade, aproximadamente.

Lenovo Ideapad Flex 5i: vale a pena?

O que torna o Ideapad Flex 5i interessante não é a sua proposta 2 em 1, mas o fato de o notebook reunir recursos típicos de modelos mais avançados. Estou falando da tela WVA, do teclado retroiluminado e do leitor de impressões digitais.

Pelo menos no Brasil, não é difícil encontrar notebooks que têm hardware parecido, mas que não incluem um ou mais desses recursos.

Diante disso, acredito que o único item que faltou para este ser um notebook completo é a conexão Ethernet. Se esse recurso não é essencial para você, os demais atributos fazem o Flex 5i valer a pena, sim.

É verdade que o acabamento externo poderia ser mais robusto, que o laptop merecia um touchpad melhor, que a webcam não é lá essas coisas e que a memória RAM soldada é uma limitação importante. Mas, olhando para o conjunto da obra, os pontos positivos se sobressaem.

O preço é que não ajuda — se bem que isso vale para qualquer notebook vendido no Brasil atualmente. A configuração analisada aqui tem preço oficial de R$ 5.349. Caro.

Na data de publicação desta análise, era possível encontrar o modelo com cerca de R$ 500 de desconto no site da Lenovo e em alguns varejistas. O preço continua alto mesmo com isso, mas já é alguma coisa.

Você pode gostar...