Solenidade de abertura do 32º Fórum da Liberdade reúne lideranças em Porto Alegre

A solenidade de abertura do 32º Fórum da Liberdade, promovido pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE) nesta segunda-feira (8), teve como destaque a janela de oportunidade que se abre para o Brasil executar as reformas necessárias e prosperar. Durante a cerimônia, foram apresentados os vencedores do Prêmio Libertas, ao empresário e cofundador do IEE, Winston Ling, e do Prêmio Liberdade de Imprensa, ao jornalista Alexandre Garcia. O evento contou com a presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, entre outros representantes do poder público, empresarial e do terceiro setor.

A presidente do IEE, Giovana Stefani, destacou que o tema “Brasil: aberto para reformas?” traz a reflexão de que a mudança exige liberdade, tolerância e que o momento é pertinente para isso. “O mundo está em constante transformação, mas por qual razão é tão difícil mudarmos? Há mais de 25 anos debate-se a necessidade de reformas para o desenvolvimento do país, esse tempo chegou. Não aproveitamos diversas janelas de oportunidades que nos fizeram arcar com as consequências atuais”, disse Giovana. A presidente vê a sociedade brasileira mais ativa e clamando por mudanças e que atitudes e ideias novas são necessárias para seguir este caminho. “Vemos a população mais do que nunca engajada na política. A força da sociedade em mudar suas instituições está em cada um. Jamais haverá unanimidade com as mudanças, por isso a liberdade exige responsabilidade individual, com respeito e tolerância as ideias”, finalizou a presidente do IEE.

Agraciado com o Prêmio Libertas da 32ª edição do Fórum da Liberdade, o empresário Winston Ling agradeceu a premiação que veio em um momento especial, quando completou 32 anos desde que deixou a diretoria do IEE. “Quando participei da diretoria, no final dos anos 80, não havia o anseio pela liberdade que há hoje, enfrentávamos uma onda conservadora. Vejo o Fórum como uma Startup, que começa com uma ideia nova e, por vezes, desacreditada, e torna-se um grande sucesso”, comenta Ling. O vencedor do Prêmio Libertas se mostrou otimista com a onda liberal que passa pelo país e acredita que as mudanças estão próximas. “Estou otimista com a quantidade, qualidade e diversidade dos ativistas liberais. Estamos no momento em que o povo quer ser próspero e já percebeu que o modelo atual não pode continuar. O preço da liberdade é a constante vigilância, por isso é preciso estar mobilizado e continuar sonhando”, finalizou o empresário.

Homenageado com o Prêmio Liberdade de Imprensa, o jornalista Alexandre Garcia, fez uma reflexão sobre o atual momento do jornalismo brasileiro. “Vivemos uma encruzilhada, precisamos tomar o rumo certo na profissão. Infelizmente o jornalista deixou de ser apenas um mediador de notícia para ser a própria notícia. É preciso relatar os fatos com veracidade, isenção, objetividade e clareza para que haja credibilidade”, explicou. O vencedor do Prêmio Liberdade de Imprensa afirmou que o reconhecimento chegou em uma oportunidade especial. “Venho passando por uma renovação em minha carreira. Lembro quando relatei um acidente e fui questionado por um dos responsáveis que estava invadindo a sua privacidade. Pois justamente, a liberdade de imprensa é um serviço público. É essencial podermos atuar, mas também aceitar críticas e refletir sobre nossas ações”, finalizou Alexandre Garcia.

O Governador Eduardo Leite destacou que as reformas são urgentes para mudar o cenário que é deficitário. “No Rio Grande do Sul, por exemplo, convivemos com a necessidade de repassar recursos finitos para bancar despesas contínuas. Tudo isso para manter o custeio da máquina pública. Nosso déficit com a previdência é de 12 bilhões por ano. Este cenário nos inviabiliza de fazer novos investimento em qualquer área”, explicou Leite. O governador do Rio Grande do Sul acredita que a mudança passa pela liberdade dada a iniciativa privada. “Este setor traz eficiência e qualidade aos serviços e ajuda a desonerar os gastos do estado. O cenário mudou, precisamos compreender isso, chegou o momento de nos abrir ao novo, trazer empresas e profissionais qualificados para alavancar a nossa economia”, finalizou Leite.

Sobre o IEE

O Instituto de Estudos Empresariais foi fundado em Porto Alegre há mais de 30 anos por 20 integrantes. A entidade tem como intuito a formação de jovens lideranças empresariais que se comprometam com um modelo de organização social e política para o Brasil baseado no ideal democrático de liberdades individuais e orientado à defesa e manutenção dos valores da economia de mercado e da livre-iniciativa. Desde 1988, o IEE promove anualmente o Fórum da Liberdade – consagrado nacionalmente e considerado o maior evento liberal da América Latina.

FÓRUM DA LIBERDADE

Você pode gostar...